Áreas GESTÃO DE PESSOAS

Gestão do capital humano: entenda como fazer da maneira correta!

04 de maio de 2021

Qual a importância da gestão do capital humano? Aqui neste conteúdo, você entenderá como a administração dos recursos humanos se relaciona com a estratégia organizacional. Confira!

Todos os aspectos sociais são influenciados pela economia e o avanço do capitalismo. Sob a perspectiva das organizações isso é ainda mais evidente. 

Atualmente, estamos vivendo o que os estudiosos do tema denominaram “era da informação”.

Nesse contexto, a especialização da mão-de-obra e as transformações tecnológicas passaram a ser componentes decisivos no crescimento das empresas.

Como resultado, o profissional da área de recursos humanos adquiriu ainda mais espaço no planejamento estratégico da organização.

Neste texto, você entenderá porque a excelência na gestão do capital humano agrega muito valor aos negócios e proporciona ampla vantagem competitiva.  

Ao final da leitura, a frase “desenvolva pessoas e elas desenvolverão a organização” fará mais sentido do que nunca!

 

O que é Capital Humano?

 

O desenvolvimento do capitalismo exigiu o aperfeiçoamento dos ativos empregados pelas organizações. Isso inclui não apenas os ativos tangíveis (terreno, máquinas, estoque, entre outros) como também os intangíveis (licenças, propriedade intelectual, know-how, por exemplo).

Dentre os ativos intangíveis, o conjunto de recursos que inclui a experiência conquistada pelo trabalhador, sua especialização e seus conhecimentos acumulados, é, provavelmente, o mais determinante no desempenho da empresa. 

Portanto, falar sobre gestão de capital humano significa tratar da forma como é gerenciada uma parte significativa do valor total da empresa. 

Por essa razão, é imprescindível entender a importância de valorizar esse ativo. 

Vamos detalhar essa questão no próximo tópico.

 

Qual a importância de valorizar o capital humano?

 

Na “na era da informação” as transformações tecnológicas se aceleraram e hoje temos disponíveis uma infinidade de ferramentas e modelos de gestão. Contudo, o verdadeiro diferencial de uma empresa de sucesso reside no valor que esta atribui aos seus recursos humanos.

Logo, cabe a gestão do capital humano conduzir os colaboradores na aplicação de suas competências técnicas e comportamentais, visando concretizar a visão de futuro da organização. 

Assim, investir no desenvolvimento de habilidades, conhecimentos e moldar a atitude do colaborador com propósito, significa investir também em crescimento, aumento de receitas, redução de custos com retrabalho e tempo desperdiçado.

Além disso, a alocação eficiente dos recursos humanos e o reconhecimento do papel crucial exercido por estes colaboradores, propicia diversos outros benefícios, tais como:

  • Retenção de talentos
  • Aumento de produtividade
  • Desenvolvimento profissional
  • Fortalecimento da cultura organizacional

Note como o alinhamento do setor de recursos humanos com a estratégia organizacional da empresa é vital! Mas, como isso funciona na prática?

 

Como o RH pode contribuir para o desenvolvimento do capital humano?

O RH (recursos humanos) é responsável por executar a estratégia de gestão do capital humano. Na prática, isso não é nada simples e os profissionais envolvidos nessas atividades enfrentam grandes desafios. 

Isso porque, além de garantir que sejam contratados colaboradores competentes e com o perfil adequado, ainda devem identificar deficiências nas equipes que estejam impactando os resultados e buscar soluções adequadas. 

Portanto, para uma estratégia de gestão de capital humano ser bem sucedida, elementos como plano de carreira, treinamentos, bonificações, engajamento dos funcionários e participação efetiva das lideranças são fundamentais. 

Vejamos:

 

Plano de Carreira

É uma ferramenta poderosa na retenção de talentos e indica que a empresa valoriza seus funcionários. Além disso, o colaborador com perspectivas de construir uma carreira sólida na organização trabalha mais motivado.

Contudo, o plano de carreira deve ser concretizado com base em metas plausíveis e um sistema justo. Também é interessante estabelecer indicadores que permitam avaliar os resultados alcançados frente aos resultados esperados.

 

Treinamentos

O setor de RH deve se estruturar sob a perspectiva de aprendizagem e conhecimento, avaliando a competência pessoal, clima para mudanças e administração estratégica do capital humano.

Isso significa, oferecer treinamentos para educar e atualizar os colaboradores. 

Nesse sentido, pode-se investir no desenvolvimento interno de um mecanismo, como criar uma universidade corporativa, implementar a rotação de cargos, ou disponibilizar uma plataforma e-learning. 

Outra opção é a contratação de uma empresa da área da educação, especializada nesse tipo de serviço. 

Seja qual for a escolha, o RH deve se basear nas fragilidades a serem sanadas nas equipes e também na formação e desenvolvimento de talentos.  

 

Bonificações

Os resultados alcançados devem ser reconhecidos e recompensados. O RH deve ser responsável pelos subsistemas de cargos, salários e remuneração variável como bônus e premiações, por exemplo.

Em primeiro lugar, é necessário estabelecer regras claras de reconhecimento e as possíveis bonificações pessoais. Além disso, o RH deve compreender as demandas dos colaboradores e se colocar à disposição para ouvi-los. 

A princípio pode soar estranho para você, mas nem sempre o dinheiro é a resposta. Existem outras formas de mostrar o quanto a empresa aprecia o colaborador, como um dia de folga especial e até mesmo um elogio público.

 

Engajamento do funcionário

Esse é um aspecto bastante valorizado atualmente, dado que proporcionar um ambiente saudável aos colaboradores têm influência direta sobre a produtividade

Preocupar-se com o bem-estar no ambiente de trabalho mostra que a empresa valoriza o profissional e também, acima de tudo, a pessoa.

Para aumentar o engajamento dos funcionários não se restrinja ao ambiente corporativo. Uma boa opção é estabelecer uma política de responsabilidade social que os envolva e que corresponda a uma causa representativa para o grupo.

Além disso, um colaborador orgulhoso é mais propenso a exercer o marketing espontâneo, impactando positivamente a imagem da empresa no mercado. 

Listas que apresentam as melhores empresas para trabalhar são frequentes na mídia, e atraem novos talentos e investimentos.

 

Liderança efetiva

O gerenciamento do capital humano é um compromisso que também deve ser assumido pela liderança das equipes. Portanto, uma boa parceria entre esses profissionais e o RH deve ser estabelecida. 

Como vimos, o RH exerce um papel crítico na gestão do capital humano, mas durante a concepção e o desenvolvimento dos projetos, são as lideranças que devem acompanhar e identificar os pontos de melhoria, mantendo a motivação da equipe e alocando bem esses recursos humanos nas tarefas.

Ainda cabe ressaltar que a liderança precisa reconhecer a importância estratégica do RH. 

Bons líderes são multiplicadores de iniciativas em prol do capital humano e fomentam o desenvolvimento coletivo. Assim, uma liderança efetiva multiplicará – em muito – as chances de sucesso do planejamento da empresa.

Entenda mais sobre os principais tipos de liderança e seus impactos!

 

*

Esperamos que esse texto tenha mostrado a você a importância da gestão de capital humano para uma organização atingir os resultados de longo prazo e destacar entre os concorrentes.

O que acha de se tornar um profissional de excelência nesta área? O MBA USP EAD em Gestão Estratégica de Pessoas e Organizações Sustentáveis da Fundace aborda esse tema de maneira bem detalhada e conta com professores especialistas na área. Confira! 

Confira também:

Logo

Nós usamos cookies

Este site usa cookies para aprimorar sua experiência de navegação.