Design Thinking Marketing MARKETING VENDAS MBA Marketing

Design Thinking: o que é e como o utilizar

09 de maio de 2022

Já parou para pensar em como grandes empresas fizeram para criar inovações? O Design Thinking tem papel em muitos casos.

 A Apple, por exemplo, foi fundada em 1976 e sua história é marcada por grandes lançamentos. Contudo, ela teve um período em que vários erros foram cometidos, como produtos com falhas e outros acontecimentos indesejados pelo público. 

Neste momento ocorreu a principal mudança para a empresa, ela adotou o Design Thinking, o que se tornou fundamental para chegar ao nível atual.

Ter em mãos essa ferramenta é indispensável ao profissional que quer contribuir mais com a empresa em que trabalha, e alcançar o sucesso profissional.

Dessa forma, continue lendo este artigo para entender o processo!

O que é design thinking? 

Esta é uma técnica originária do design, onde os profissionais da área utilizam-na como forma de maximizar a geração de insights.

É um processo de cocriação, onde é feito de forma coletiva e colaborativa, pois busca ouvir os profissionais de áreas diferentes da empresa, a fim de que usem suas habilidades no desenvolvimento de um produto ou serviço.

O Design Thinking possui três pilares fundamentais.

 

Os 3 pilares do Design Thinking

Empatia 

O primeiro e mais importante pilar do Design Thinking é a empatia.

Desenvolver essa qualidade é fundamental para o progresso deste novo produto ou serviço, pois só se colocando no lugar do seu cliente é que, de fato, se saberá qual caminho seguir.

Nesta fase é necessário entender seu consumidor, saber quais são suas dificuldades, suas habilidades e limitações. 

Se possível, vá mais afundo em compreender quais são suas reais necessidades naquele momento, analisando como ele lida com seus desejos e frustrações. Observe se ele está agindo de alguma forma para alcançar seus objetivos e se está dando certo ou não. 

Colaboração 

Dificilmente um só tipo de profissional conseguirá resolver todas as etapas da criação de um projeto, normalmente o criativo não tem domínio das etapas do processo e de trazer as ideias para a realidade, já o metódico tem dificuldade na etapa inicial, ou seja, de utilizar sua imaginação.

Dessa forma, a colaboração e co-criação de todos é fundamental para que haja um projeto completo, determinado e inovador.

Experimentação 

Nesta etapa há a observação, onde é feita a aplicação de ideias em diferentes cenários e testes em diferentes circunstâncias, a fim de lapidar a criatividade inicial.

E é nesta fase em que há a concretização do planejamento, ela torna o processo não linear, ou seja, a primeira forma deste não determinará o produto final. Sendo assim, serão feitos vários testes com o objetivo de consertar os erros cometidos anteriormente.

Como surgiu o design thinking?

Este é um método antigo, utilizado pelos designers na elaboração dos projetos e somente na década de 90 aconteceu a adaptação ao meio corporativo.

Foram dois os responsáveis por essa adequação, David Kelley e Tim Brown.

Sendo um o fundador, e o outro CEO da empresa de consultoria IDEO, eles adaptaram este conceito e começaram a disseminá-lo.

No início, ambos aplicaram esse método para solucionar questões importantes de seus clientes. Tendo atingido resultados positivos, no ano de 2009, Tim Brown lançou o livro, o qual se tornou best-seller sobre o tema e popularizou o termo.

 

Como funciona e como aplicar o Design Thinking? 

Este é um método que visa testar possibilidades, de forma que funciona a partir de etapas.

Deve-se iniciar com a coleta de informações sobre o tema. Posteriormente, entra-se na fase de elaboração de ideias, que são selecionadas e passadas para a fase de desenvolvimento.

Também pode-se aplicar o Design Thinking na elaboração de produtos, o que o torna muito importante, pois há uma redução dos custos, pelo fato de ter como foco testar antes de produzir.

Sua aplicação também é muito presente em design de produtos. Dessa forma, são realizados testes de diferentes maneiras de proporcionar experiências positivas aos clientes.

Além disso, com o propósito de solucionar problemas de gestão da sua própria empresa. Para poder aplicar este conceito no seu negócio, é importante desenvolver uma cultura organizacional compatível, pois há a necessidade da colaboração de setores diferentes, muitos com visões e habilidades diferentes.

O processo visa unir a criatividade com a metodologia, criando um ciclo e não algo linear. 

Para tal, criaram-se quatro etapas. Confira:

 

As 4 etapas do Design Thinking   

Imersão 

Nesta primeira etapa, é necessária uma profunda compreensão sobre o cenário em que a empresa se apresenta, ter o entendimento de quais são suas fraquezas, onde está seu melhor desempenho, juntamente em perceber quais são as oportunidades e analisar quais são suas ameaças.

Assim, é recomendada uma análise SWOT, com o intuido de receber feedbacks de seus clientes e recomendações de seus colaboradores.

Simultâneamente, é necessário a observação do cenário político e econômico atual.

Ideação

Depois de todo o processo de conhecimento sobre sua empresa, é o momento de reunir ideias para solucionar os problemas. 

Nesta hora, é necessário que haja o maior número de insights possíveis, comumente é feito o brainstorming, ou seja, chuva de ideias, com o objetivo de liberar o lado criativo.

Prototipação

Reunindo todas essas soluções criativas da etapa anterior, é preciso fazer uma verificação bem mais detalhada. Esta é a hora de ser bem mais coerente com o que pode ser feito. 

No caso de produtos, se faz necessário a criação de uma versão beta, com o intuito de realizar testes, com toda uma análise de qual será o custo e a reação dos clientes. Já nos serviços, é interessante gerar resoluções gráficas para as considerações finais.

Desenvolvimento 

Por último, é o momento de sair do mundo da abstração e colocá-las em prática, ou seja, é a hora de vender sua ideia. É necessário o alinhamento dos times da empresa, como o de marketing e de vendas para a realização eficiente deste método.

 

Conclusão

O Design Thinking é um método muito eficiente no desenvolvimento de inovações. Pode-se constatar isso com o fato de que produtos campeões em vendas e que se destacam tiveram em suas criações a aplicação desta metodologia.

Companhias se reinventaram e atingiram o sucesso devido aos profissionais capacitados que fizeram a utilização eficiente deste processo na gestão de projetos inovadores.

Agora, pare e reflita: você quer ser apenas mais um profissional que passou na empresa ou quer ser o profissional capaz de elevar o nível de excelência da empresa?

Sua história está a uma decisão de mudar, clique no link e faça acontecer!

Posts relacionados

Fique conectado
Logo

Nós usamos cookies

Este site usa cookies para aprimorar sua experiência de navegação.