Entenda os investimentos para pessoa jurídica!

Conheça o que é importante saber e quais as opções de investimentos para Pessoa Jurídica.

Um dos maiores erros dos empreendedores é deixar o capital de giro ou outras reservas estagnadas na conta corrente. O primeiro mandamento da gestão financeira é deixar o dinheiro trabalhar em favor do negócio. 

Assim como acontece quando você é pessoa física, há diversas opções de investimentos para pessoa jurídica. No entanto, existem algumas diferenças importantes e conhecê-las é fundamental para qualquer profissional da área financeira. 

Afinal, gerenciar as finanças, buscar rentabilidade e garantir a saúde financeira da instituição estão dentre os atributos de quem ocupa esse cargo. 

Aqui nesse post, vamos mostrar a importância dos investimentos para PJ, conhecer um pouco mais a fundo sobre cada um deles e como ampliar seus conhecimentos nesse tipo de operação. Continue conosco! 

Existem diferenças nos investimentos para PJ?

Em vias de regras, os recursos financeiros nunca devem ficar parados na conta corrente ou na poupança. Existem aplicações de médio e longo prazo mais rentáveis, onde esse aporte pode render continuamente.

Partindo dessa premissa, é fundamental definir quais são os produtos adequados para a realidade da empresa. Para isso, existem investimentos sob medida para atender as  necessidades da pessoa jurídica, seja qual for o perfil.

Conhecer quais as opções e os detalhes da operação é um grande diferencial para quem quiser destacar-se no mercado de trabalho. Existem diferenciações chaves entre o processo de pessoa física e pessoa jurídica. Um deles, é a burocracia.

Abaixo, citamos as principais diferenças. 

Documentos

É necessário apresentar alguns documentos a mais do que um investimento em pessoa física. Por exemplo, a empresa precisa demonstrar o resultado do exercício (DRE), a declaração de faturamento dos últimos 12 meses, a última alteração contratual da empresa e o balanço patrimonial

Tributação

Uma das maiores divergências em investimentos da renda fixa para pessoas jurídica diz respeito à tributação. Por exemplo, pessoas físicas são isentas de imposto ao investir nas letras de crédito, já as empresas são taxadas. 

Títulos disponíveis 

Ouviu falar de um investimento que seu amigo fez imperdível? Pode ser que não sirva para a empresa. Isso porque alguns título são inacessíveis para empresas, como Tesouro Direto. 

Em contrapartida, existem outros  investimentos em renda fixa, os quais apresentam regras um pouco diferentes. 

Conheça os investimentos para PJ 

Como você viu acima, as opções de investimentos para pessoa jurídica são mais limitadas do que os para pessoa física. Por outro lado, existem outras opções interessantes, com baixo risco e até liquidez diária.

Abaixo elencamos algumas alternativas para diversificar os investimentos da empresa, de acordo com perfil, prazos e capital.

CDB (Certificado de Depósito Bancário)

Uma ótima alternativa é o Certificado de Depósito Bancário (CDB), um dos mais populares investimentos para pessoa jurídica. Dentre suas vantagens, estão diferentes prazos, liquidez e rentabilidades de acordo com as necessidades das empresas. 

Outro atrativo é a garantia em caso de quebra ou insolvência do banco. A lei garante a reposição de até R$250 mil por CNPJ e conglomerado financeiro e limitação da garantia em até R$1 milhão. 

Isso somado ao fato de que é prefixado (ou seja, vinculado a um índice, como o CDI), garante rendimento mensal específico. Já a liquidez depende do CDB, por isso, é importante consultar quais são as opções. 

Fundos de Investimento 

Um alternativa interessante são os conhecidos fundos de investimentos, que são reuniões de vários investidores (cotistas), com o mesmo perfil e objetivo, que possuem o intuito de gerar ganho em escala. 

Existem tipos diferentes de fundos, como renda fixa, multimercado e ações. Essa escolha depende de quanto você quer arriscar. Analise com cuidado já que existe uma amplitude grande de ofertas e de renda variável. 

Vale a pena ressaltar de que existe a cobrança de IOF nos fundos de investimentos, que começa em 96% do rendimento e vai diminuindo até chegar a 0%, normalmente, em 30 dias após a aplicação. 

Fora isso, ainda é cobrado Impostos de Renda em fundos de investimento, com alíquotas de 22,5% a 15%, dependendo do prazo e do tipo do fundo.

Letras de crédito 

As Letras de Crédito são divididas em Agronegócio (LCA) e  Letras de Crédito Imobiliário (LCI). São consideradas rendimentos seguros porque são aplicações prefixadas ou vinculadas a um índice como o IPCA, por exemplo. 

Na prática, isso garante um rendimento acima da inflação, o que traduz em um ganho real de poder de compra. Outro ponto é que, assim como acontece com o Certificado de Depósito Bancário (CDB), as letras de crédito contam com proteção do Fundo Garantidor de Créditos.

Porém, é importante frisar de que os investimentos são tributados para PJ e, na maioria das vezes, não são as melhores opções no mercado. 

Ações 

Pessoas jurídicas podem comprar ações nas bolsas de valores. Por isso, essa desponta como uma boa opção, principalmente, devido a alta rentabilidade da operação. Contudo, é essencial analisar outros fatores, como a necessidade de liquidez. 

As ações são investimentos a longo prazo, ou seja, aconselhadas para quem não necessita deste recurso por, pelo menos, cinco anos. 

A tributação também merece um ponto de atenção: todas as transações de venda de papéis são taxadas. Depende se são day trade (compra e venda de ações no mesmo dia) ou ainda prazos maiores que um dia.

Como controlar os investimentos para pessoa jurídica

Conhecer a fundo os detalhes é a única maneira de controlar corretamente os investimentos para pessoa jurídica. Como mencionamos anteriormente, qualquer empresa minimamente estruturada investe os recursos financeiros em aplicações rentáveis. 

Para destacar-se no mercado de investimentos para PJ é fundamental ter habilidades e conhecimentos técnicos em tesouraria

Dentre as atribuições centrais dessa função está a gestão do fluxo de caixa, além do acompanhamento das movimentações financeiras e a estruturação de um planejamento eficaz. 

A tesouraria possui um papel estratégico ao aumentar o lucro operacional, expandir o patrimônio com saúde financeira e assegurar o atingimento de metas com segurança. Além disso, fortalece a empresa financeiramente para imprevistos, como pandemias. 

Ter profissionais especializados em gestão de tesouraria é fundamental para controle do fluxo de caixa e a tomada de decisão segura. O  mercado de trabalho está sempre em busca de mais profissionais com esse conhecimento. Se você pretende destacar-se no mercado, o MBA é um passo importante rumo a esse objetivo. 

O que acha de aproveitar a pandemia e começar um MBA EAD Gestão de Tesouraria Corporativa para tornar-se um profissional ainda mais desejado pelo mercado?

Compartilhe

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.