Média de internações evitáveis em Ribeirão Preto ultrapassa a do Brasil

Na região, o município também fica à frente das cidades de Sertãozinho e Cajuru.

A média de internações por doenças que poderiam ser evitadas com vacinas previstas no Calendário Básico de Vacinação do Sistema Básico de Saúde (SUS) em Ribeirão Preto foi de 2,76 para cada 10 mil habitantes ao ano, entre o período de 2008 a 2017. O número representa mais da metade da média nacional, que é de 1,28. É o que mostra o Boletim Saúde do Ceper/Fundace de setembro, baseado nos indicadores do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil (DATASUS).

Na região de Ribeirão Preto, a média anual de internações por habitantes também superou a nacional e atingiu 1,80. Em Sertãozinho e Cajuru, que aparecem na sequência do município ribeirãopretano (2,76), tiveram uma média anual de 1,42 e 1,22, respectivamente.

De acordo com os pesquisadores André Lucirton Costa, Adriele Dias dos Santos e Paulo Henrique Grange, na última década o País contabilizou 257.405 internações por doenças infecciosas evitáveis com a vacinação. Destas, 58,3% foram causadas por tuberculose, seguida por meningite viral (14%) e infecção meningocócica (9,1%).

Na mesma base de comparação, a região de Ribeirão Preto teve 2.292 internações, sendo 1.132 por tuberculose (aproximadamente 50%), além dos números expressivos de meningite (23%) e coqueluche (15%).

Menores de 1 ano representaram uma média de 18,5% do total de internações da região, número que alcançou os 21% entre os anos de 2013 a 2015. Outras faixas etárias que chamaram a atenção foram dos 30 a 39 anos (14%) e dos 40 a 49 anos (14%).

Ao todo, na região foram registrados 77 óbitos decorrentes de doenças que poderiam ser evitadas com a imunização, média de 7,7 por ano. Desses, 74% eram do sexo masculino e 26% do feminino.

Já a média de custo por internação no Brasil é de R$ 1.650. Na região de Ribeirão Preto, foram gastos R$ 3.646.692,09, no período, com doenças evitáveis por vacinação. A média é de R$ 1.591,00 por pessoa.

Atualmente, são disponibilizadas pela rede pública de saúde de todo o país 17 vacinas no Calendário Nacional de Vacinação, para combater mais de 20 doenças, em diversas faixas etárias. São elas: Tuberculose, Hepatite A e B, Difteria, Tétano, Coqueluche, Poliomielite, Rotavirose, Doença Pneumocócica, Doença Meningocócica, Sarampo, Caxumba, Rubéola, Varicela, Febre amarela, Influenza (gripe), Raiva Humana, HPV, Cólera, diarreia dos viajantes e Febre Tifoide. Há, ainda, outras 10 vacinas especiais para os grupos em condições clínicas específicas, como portadores de HIV, disponíveis nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE).

 

Fonte: https://www.revide.com.br/noticias/saude/media-de-internacoes-evitaveis-em-ribeirao-preto-e-superior-do-brasil/

Compartilhe

Deixe uma resposta