Preço dos combustíveis cai, mas não se sustenta

Depois de duas quedas consecutivas, tendência de aumento nas bombas segue nos próximos meses.

Na média nacional, o preço do etanol hidratado caiu 4,95% de julho a agosto de 2018. O litro do combustível recuou de R$ 2,79 para R$ 2,66. As maiores reduções ocorreram nas cidades de São José do Rio Preto (-18,94%), Araraquara (-12,45%) e Campinas (-9,3%). Exceção entre os municípios analisados, Franca registrou aumento de 21,5% no período. É o que aponta o último Boletim Setor Sucroalcooleiro do Ceper/Fundace.

O preço da gasolina comum também apresentou queda, após uma trajetória de crescimento desde julho de 2017. Na média do País, o litro foi vendido a R$ 4,45 em julho de 2018, redução de 1,3% em relação ao mês anterior. Os menores preços foram observados em Campinas (R$ 4,08/litro) e na capital de São Paulo (R$ 4,17/litro).

Novamente, Franca foi na contramão. Em agosto, o preço médio da gasolina na cidade chegou a R$4,47, acima da média nacional. O combustível também ficou mais caro em Ribeirão Preto, atingindo R$ 4,36. Araraquara, embora tenha registrado queda (-1,74%), foi a cidade com o segundo maior preço no período (R$ 4,38) entre as regiões analisadas.

Na média de revenda em agosto, o etanol hidratado foi o combustível com as maiores margens e alcançou 14,9% nacionalmente, 14,7% no estado de São Paulo e 13,8% em Ribeirão Preto.

Enquanto as margens médias estadual e nacional na revenda da gasolina ficaram em 9,9%, em Ribeirão Preto foi de 12%. Para o óleo diesel, que persiste em queda desde maio de 2018, às margens de revenda chegaram a 10,1% no País, 9,5% no estado de São Paulo e 7,8% em Ribeirão Preto.

“A tendência para os próximos meses é de elevação nos preços, como reflexo de incertezas no ambiente político e econômico do País, oscilações no câmbio e entressafra da cana-de-açúcar”, avalia o pesquisador do Ceper Luciano Nakabashi, que coordena a pesquisa setorial em conjunto com os pesquisadores Francielly Almeida e Marcelo Lourenço Filho.

Os dados completos do Boletim Setor Sucroalcooleiro podem ser acessados no site da Fundace:https://www.fundace.org.br/_up_ceper_boletim/ceper_201809_00400.pdf

 

Fonte: www.ribeiraosul.com.br/destaque/preco-dos-combustiveis-cai-mas-nao-se-sustenta/

Compartilhe

Deixe uma resposta