Tudo que você precisa saber sobre Governança Corporativa

Provavelmente você já ouviu falar em governança corporativa. Mas você sabe o que é?
Nós sabemos que todo jogo tem suas regras, certo? Elas estão claras no manual onde todos devem seguir para entender a dinâmica do funcionamento.
A governança corporativa é exatamente igual: as regras organizam os processos, proporcionam agilidade, otimização e transparência.
Imagine a dificuldade de entrar num consenso para resolver algumas questões. Por exemplo: Qual a pauta da reunião? Quem será convocado? Quem irá aprovar o projeto?
A governança corporativa irá otimizar os processos, solucionar os impasses e auxiliar a tomada de decisões estratégicas.
Como seria a aprovação de um projeto, se os dois sócios majoritários discordassem?
O artigo de hoje irá abordar esse tema, tão indispensável nas organizações. Você irá conhecer os benefícios da governança corporativa para saúde dos negócios.

O que é governança corporativa?

Há várias definições para o termo Governança Corporativa, porém, trazemos para você, a definição do órgão especializado no assunto, que é o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa.
Segundo o IBGC, “Governança corporativa é o sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas”.
A governança corporativa é uma maneira de determinar orientações e procedimentos para que os processos funcionem da melhor maneira na organização.

Características

Preparamos as 8 principais características que apontam o que é a governança corporativa:

  1. Cooperação
  2. Clareza
  3. Atribuição
  4. Direcionamento
  5. Senso de Justiça
  6. Eficiência
  7. Equidade
  8. Prestação de conta (accountability)

3 práticas de governança corporativa para ganhar vantagem competitiva

Antes de implantar a governança corporativa, é necessário relacionar os valores que deverão ser mantidos nesse contexto.
Geralmente, a cultura corporativa de uma empresa é constituída de valores como compromisso, clareza e eficiência.
Preparamos três dicas para auxiliar na implementação de estruturas exclusivas desses valores.

1. Crie uma estrutura clara

Todos os colaboradores devem saber a quem reportar e qual a sua posição dentro do organograma da empresa.
Caso um colaborador exerça mais de uma função dentro da estrutura, pode afetar a eficiência no resultado.
A governança corporativa irá deixar claro quem é o superior imediato, as atribuições pertinentes ao cargo, a expectativa de como se espera a entrega do trabalho e a classificação de prioridades.
Por exemplo: Num contexto de impasse, o presidente deve estar com a atribuição de parecer final. Quando se tratar de uma situação de sociedade, o cargo de presidente, poderá ser rotativo.

2. Reúna com a equipe para avaliar o cronograma

São importantes as reuniões periódicas para avaliar o andamento dos projetos e também a realização de registros das definições e metas estabelecidas.
Além disso, deve-se analisar o cronograma dos projetos, alinhar as diretrizes e principalmente, elaborar planos de ações para que o planejamento seja cumprido conforme estabelecido.
É fundamental registrar todos os acordos em atas. Investidores analisam esses documentos para entender o curso do projeto.
Os registros também possuem outra serventia. O conselho administrativo utiliza as informações dos registros, juntamente com o balanço financeiro e projeções, para prestar conta aos sócios e/ou acionistas da organização.
Quando se trata de transparência, um dos pilares da governança corporativa, é a prática de disponibilizar essas informações, com uma certa confidencialidade, para viabilizar vendas de ações, aquisição de crédito, etc.

3. Crie um Conselho Parecerista

A formação de um conselho parecerista proporciona a troca de experiência por profissionais dos mais variados portes, de onde se estimula e fomenta novas ideias para a excelência na gestão da organização.
O presidente da empresa deve expor as suas dificuldades aos conselheiros, que por sua vez, poderão aconselhá-lo na tomada de decisão.
Normalmente, é formado por 5 profissionais de sua confiança, com notória capacidade técnica e disponibilidade para reuniões com uma certa periodicidade, definida pela cúpula da empresa.
Variam os assuntos, mas sempre com o objetivo na eficiência dos processos, inovação e posicionamento de mercado.
O conselho parecerista não é o conselho administrativo. São funções totalmente diferentes e ambos de muita relevância.
O conselho parecerista auxilia no começo do processo, enquanto o conselho administrativo tem seu papel mais no final da ponta, porém é fundamental o consenso entre ambos, para que não sejam tomadas decisões estratégicas sem valor.

Mais clareza e transparência na gestão

O mercado valoriza as empresas que utilizam práticas de governança corporativa, justamente pela transparência nos processos e eficiência na gestão. É comum empresas estacionarem, devido a visão limitada de negócios dos sócios.
A governança corporativa irá proporcionar uma perspectiva de novos negócios, acompanhamento das tendências de mercado e um melhor monitoramento da gestão de pessoas.
A governança corporativa é muito utilizada em grandes organizações estabelecidas no mercado. A aplicação gera um diferencial competitivo, que poderá ser utilizado para empresas de médio e pequeno porte.
E você, já teve experiências com governança corporativa? Deixe seu comentário.

 

 

Compartilhe

Deixe uma resposta