Financiamento Imobiliário Cresce 5% na Região de Catanduva

O financiamento imobiliário cresceu 5% na região de Catanduva conforme boletim de crédito do Ceper/Fundace, elaborado a partir dos indicadores do Banco Central. A região que inclui Catanduva e também cidades próximas a São José do Rio Preto teve o segundo melhor desempenho, com dados até maio deste ano. Sertãozinho teve o maior crescimento e a região de Ribeirão Preto contempla a terceira com mais empréstimos realizados. Conforme dados da pesquisa, foram os melhores resultados nas operações de crédito em boa parte das cidades do interior de São Paulo, no comparativo entre maio deste ano e de anos anteriores.
E não poderia ser diferente. Sem dinheiro para comprar à vista seus imóveis e diante da crise econômica e financeira vivida, muitos catanduvenses recorrem ao financiamento para poder ter a casa própria. Nos anos anteriores, a cidade teve um salto em empréstimos habitacionais por conta da criação de dois conjuntos habitacionais – o Nova Catanduva I e o Nova Catanduva II. Além disso, os subsídios do governo para o programa Minha Casa Minha Vida e a utilização do Fundo de Garantia por tempo de Serviço, também inclui como vantagens na hora de escolher o crédito, que muitas vezes é feito em 360 meses.
Dentro dessa estatística está o casal Marcos e Marcela. Os dois decidiram se casar e, para isso, optaram primeiro em ter a casa própria. Uniram os salários e fizeram um financiamento para aquisição de imóvel novo. O valor financiado, segundo eles foi de R$ 150 mil. “Conseguimos dar uma quantia co­­mo entrada, depois financiamos o restante. Vamos pagar por um longo período, mas melhor assim, do que ter de pagar aluguel que é um dinheiro sem volta. Pelo menos a casa é nossa e se precisarmos alterar, ampliar, podemos”, disse Marcos.

Enquanto isso
As modalidades de financiamentos em geral e agronegócio continuaram em queda no interior paulista, com recuo de 22,8% e 3,8%, respectivamente. No período, Fran­­ca teve redução de 62,8% nos financiamentos em geral, a­­­companhada por Campinas (-31,2%) e Araraquara (-29,2%). No agronegócio, o desempenho negativo nas operações chamou a atenção principalmente em São José do Rio Preto (-14,2%) e Araraquara (-9,0%).
No estoque total das operações de crédito, as maiores retrações ocorreram nos municípios de Franca (-4%), A­­ra­­­raquara (-3,8%) e Campinas (-3,5%), enquanto a menor foi em São José do Rio Preto (-0,8%). Catanduva não aparece nesse quesito.
Embora as variações sejam negativas nas operações – total e maioria das modalidades -, há uma tendência para queda na inadimplência e estabilidade no saldo de crédito. “A manutenção dessa trajetória é fundamental para o retorno dos investimentos no país, o fortalecimento do consumo e um maior dinamismo da economia brasileira”, avalia o pesquisador Luciano Nakabashi, que coordena o estudo em conjunto com as pesquisadoras Francielly Almeida e Caio Albanezi.
O Centro de Pesquisa em Economia Regional (Ceper) foi criado em 2012 e tem como objetivo desenvolver análises regionais sobre o desempenho econômico e administrativo do País.

 

Fonte: oregional.com.br/cidades/financiamento-imobiliario-cresce-5-na-regiao-de-catanduva/

Compartilhe

Deixe uma resposta