Região de Ribeirão Preto segue com saldo superavitário nas exportações

Na comparação anual (julho 2018/2017), houve crescimento de 3,37% nos embarques, com estanho, soja e amendoim em alta.

Na contramão dos indicadores nacionais e do estado de São Paulo, que apresentaram trajetória de queda na balança comercial, a região de Ribeirão Preto prossegue com ritmo constante nas importações e saldo superavitário nas exportações.

Na comparação do acumulado em 12 meses (julho de 2018 ante julho 2017), houve alta de 3,37% nas exportações. Os municípios com os maiores valores exportados, em julho de 2018, foram Sertãozinho (US$ 34.391.795), Ribeirão Preto (US$ 20.973.760), Orlândia (US$ 14.321.157) e Luís Antônio (US$ 12.991.203).

Em Ribeirão Preto, destaque para os embarques de estanho (75,43%) e soja (46,25%); em Orlândia, as altas são para tortas e outros resíduos sólidos (259,53%) e soja, mesmo triturada (136,23%). Os dados foram levantados pelos pesquisadores do Ceper/Fundace e tem como base as estatísticas de Comércio Exterior do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Cenário nacional – Depois do forte crescimento entre 2016 e 2017 e estabilidade ao final de 2017, é possível observar uma trajetória de queda no saldo da balança comercial em 2018, em decorrência do desempenho da atividade econômica. Em julho, houve crescimento das importações em 4,03%, atingindo US$ 168 bilhões. Já as exportações aumentaram 2,08% (US$ 226 bilhões).

O estado de São Paulo também teve déficit na balança comercial. Houve queda de 13,74% no saldo entre junho e julho de 2018, com decréscimo de US$ 8,5 bilhões dólares, o menor valor registrado desde junho de 2016. As exportações e importações tiveram variação de 0,58% e – 1,25%, atingindo valores de US$ 51 bilhões e US$ 59 bilhões respectivamente.

“Há uma tendência de depreciação do real que impacta a balança comercial. Isso se deve em grande parte ao clima de incerteza em relação às eleições presidenciais e à crescente instabilidade gerada pelas políticas protecionistas do governo norte-americano”, avalia o pesquisador do Ceper Luciano Nakabashi, que coordena o levantamento sobre Comércio Exterior, desenvolvido em conjunto com os pesquisadores Francielly Almeida e Armando Henrique.

Os dados completos do Boletim Comércio Exterior podem ser acessados no site da Fundace: https://www.fundace.org.br/_up_ceper_boletim/ceper_201808_00389.pdf

 

Fonte: www.ribeiraosul.com.br/noticias/regiao-de-ribeirao-preto-segue-com-saldo-superavitario-nas-exportacoes

Compartilhe

Deixe uma resposta