China mantém a liderança na importação de produtos brasileiros

Exportações brasileiras seguem em alta, embora resultado mensal apresente recuo como reflexo da greve dos caminhoneiros.

As exportações brasileiras somaram US$ 223,44 bilhões no acumulado de 12 meses, com a China na liderança das importações e a soja batendo recorde de 12 milhões de toneladas nos embarques. Em todos os mercados analisados pelo Ceper/Fundace no Boletim Comércio Exterior de junho, houve aumento das exportações principalmente para o Chile e a Argentina, que registraram crescimento de 20,7% e 20,1%,respectivamente.

Embora o bom desempenho no acumulado, o resultado mensal foi de queda. As vendas externas totalizaram US$ 19,24 bilhões em maio de 2018, decréscimo de 2,45% em relação ao mês anterior e de 2,77% em relação a maio de 2017. O recuo foi reflexo da greve dos caminhoneiros. Nos dias da paralisação, a média diária das exportações reduziu 36%. Os dados são baseados nos indicadores da Comex.

Na Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP), houve crescimento exponencial de 89,2% nas exportações para a Coréia do Sul no acumulado de 12 meses. As vendas para Holanda, Estados Unidos e Reino Unido tiveram crescimento de 11,2%, 12,2%, e 43%, respectivamente, enquanto a China, principal destino dos produtos da região, surpreendeu com o registro de queda (-34,5%), assim como a Nigéria (-41,6%).

Ribeirão Preto apresentou alta expressiva das exportações para os Estados Unidos, atingindo quase US$ 39 milhões, variação de 95,7% em relação aos 12 meses anteriores. Houve ainda crescimento das exportações para a Malásia (12,9%) e México (1,2%). No período, os destinos com queda relevante foram China (36,3%), Argentina (14,6%) e Chile (6,3%).

Principal mercado de Sertãozinho, os embarques para a China tiveram aumento de 23% no acumulado de maio a maio, totalizando US$ 267 milhões. Alta também registrada nas exportações para Bangladesh (71,4%), Egito (25,8%) e Arábia Saudita (24,6%). O pior desempenho do período foi nas vendas para a Índia, que teve redução de 41,6%. As exportações para a Malásia tiveram uma trajetória peculiar: no acumulado de 12 meses até maio/16, as vendas para esse país eram quase inexistentes. Já, no acumulado até maio/18, as exportações totalizaram um valor de US$ 38,6 milhões.

“Mesmo com o cenário favorável, as inquietações nos cenários interno e externo, vindos de incertezas políticas e econômicas, ainda podem provocar oscilações de mercado e quebra de perspectivas”, avalia Luciano Nakabashi, pesquisador do CEPER e coordenador do Boletim Comércio Exterior, elaborado em conjunto com os pesquisadores Francielly Almeida e Armando Henrique.

Os dados completos do Boletim Comércio Exterior podem ser acessados no site da Fundace: https://www.fundace.org.br/_up_ceper_boletim/ceper_201806_00375.pdf

Sobre o Ceper – O Centro de Pesquisa em Economia Regional (Ceper) foi criado em 2012 e tem como objetivo desenvolver análises regionais sobre o desempenho econômico e administrativo regional do País. Reúne a experiência de diversos pesquisadores da FEA-RP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto) da Universidade de São Paulo em pesquisas relacionadas ao Desenvolvimento Econômico e Social em nível regional, a análise de Conjuntura Econômica, Financeira e Administrativa de municípios e Gestão de Organizações municipais, entre outros. A iniciativa de criação do Centro foi dos pesquisadores Rudinei Toneto Junior, Sérgio Sakurai, Luciano Nakabashi e André Lucirton Costa, todos da FEA-RP/USP. Os Boletins Ceper têm o apoio do Banco Ribeirão Preto, Stéfani Nogueira Incorporação e Construção, São Francisco Clínicas, Citröen Independance, Ribeirão Diesel e CM Agropecuária e Participações.

Sobre a Fundace – A Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (Fundace) é uma instituição privada, sem fins lucrativos, criada em 1995 para facilitar o processo de integração entre a FEA-RP e a comunidade. Oferece cursos de pós-graduação (MBA) e extensão em diversas áreas. Também realiza projetos de pesquisa in company, além do levantamento de indicadores econômicos e sociais nacionais regionais.

 

Fonte: www.segs.com.br/demais/123576-china-mantem-a-lideranca-na-importacao-de-produtos-brasileiros

Compartilhe

Deixe uma resposta