Brasileiro diz que é fácil driblar a lei

Pesquisa realizada pela Fundação para Pesquisa e De­senvolvimento da Administra­ção, Contabilidade e Economia (Fundace), ligada aos professo­res da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universi­dade de São Paulo (FEA-RP/USP), aponta que, segundo os advogados, as pessoas acham fácil desobedecer às leis no Bra­sil e, sempre que possível, esco­lhem dar um “jeitinho” ao invés de seguir às normas.

Os dados fazem parte do Índice de Confiança dos Advo­gados na Justiça (Icaj), realizado desde 2010. O indicador é com­posto por sete tópicos calcula­dos de acordo com respostas dos advogados para questio­namentos sobre igualdade de tratamento, eficiência, hones­tidade, rapidez, custos, acesso e expectativa quanto ao futuro da Justiça brasileira. O objetivo final é criar um termômetro de confiança, que varia de zero a 100 pontos, sendo zero uma situação de inexistência de con­fiança e 100 de confiança plena. O resultado de 2017 foi 31,7.

Como nas pesquisas ante­riores, foram levantados outros pontos de interesse para a área jurídica, entre eles, os advogados responderam a três afirmativas sobre a percepção do respeito às leis no Brasil: “É fácil desobede­cer à lei no Brasil”; “Sempre que possível as pessoas escolhem dar um ‘jeitinho’ ao invés de seguir a lei”; “Existem poucas razões para uma pessoa seguir a lei no Brasil”. Os advogados indicaram seu grau de concordância com as afirmativas a partir de duas visões: de como a população em geral e de como eles mesmos as têm.

De acordo com a percepção dos advogados, 66,9% da popu­lação concorda plenamente que é fácil desobedecer à lei no Bra­sil. Já na visão dos advogados, a maioria, 47,8%, concorda par­cialmente com esta afirmação. Em relação à preferência pelo “jeitinho” ao invés da lei, 73,8% dos advogados concordam ple­namente que esta é a visão da população, já na percepção de­les mesmos, 33,3%, concorda plenamente e 41,2% concorda de forma parcial, um total de 74,5% que total ou parcialmente concordam com a afirmação.

Em relação à afirmativa de que existem poucas razões para uma pessoa seguir a lei no Bra­sil, 48% concordam plenamen­te, segundo a percepção dos advogados sobre a população. Porém, na visão dos advoga­dos sobre a própria classe, 31%, concorda parcialmente e 19,7% concorda plenamente (veja os dados detalhados abaixo). A pesquisa foi desenvolvida por meio de questionários indivi­duais, via internet, enviados por e-mail a advogados localizados, principalmente, no site das se­des estaduais da Ordem dos Ad­vogados do Brasil (OAB) e sub­seções, de escritórios localizados via internet, em revistas especia­lizadas e redes sociais. No total, 644 advogados de todos estados e Distrito Federal participaram do Icaj 2017.

 

Fonte: www.tribunaribeirao.com.br/site/brasileiro-diz-que-e-facil-driblar-a-lei/

Compartilhe

Deixe uma resposta