Criação de vagas de emprego desacelera em Ribeirão Preto

Segundo o último boletim Mercado de Trabalho do Ceper/Fundace, em março, foram abertos 206 postos de trabalho na cidade, número inferior aos 524 registrados em fevereiro.

Ribeirão Preto registrou a abertura de 206 postos líquidos de trabalho em março de 2018, de acordo com o último boletim Mercado de Trabalho do Ceper/Fundace, que analisa dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED). O montante foi inferior aos 524 postos de trabalho criados em fevereiro, mas representa reversão positiva frente às 574 vagas líquidas fechadas em março do ano passado.
Entre os setores analisados, o de Serviços foi o único com saldo positivo de contratações: 321 vagas. Já a Indústria registrou o maior volume de demissões (62), seguida da Construção Civil (24) e do Comércio (16 demissões).
Os dados de março do CAGED indicam criação líquida de vagas também na Região Administrativa de Ribeirão Preto, no estado de São Paulo e em âmbito nacional. Dentre os municípios analisados, somente Sertãozinho apresentou demissões, com 1100 vagas líquidas, valor próximo às 1264 vagas fechadas em março de 2017.
No acumulado de abril de 2017 a março de 2018 em comparação com os doze meses anteriores, todas as regiões avaliadas, com exceção também de Sertãozinho, apresentaram saldo positivo na criação de postos de trabalho.
A região de Ribeirão Preto registrou a abertura de 723 vagas líquidas em março de 2018. O montante foi inferior às 2.558 vagas abertas em fevereiro, mas representa reversão positiva frente às 832 vagas líquidas fechadas em março de 2017.
Somente a Construção Civil apresentou demissões (827 vagas líquidas). O setor de Serviços, por outro lado, registrou o maior volume de contratações (801 vagas líquidas).
Entre os setores analisados em âmbito nacional, a Agropecuária foi o que mais demitiu, com 17.827 demissões líquidas entre fevereiro e março de 2018. O setor de Serviços registrou contratações líquidas em todas as regiões neste período, porém, apresentou montante inferior ao registrado no mês anterior (fevereiro de 2018).
A título de ilustração, o Índice de Confiança de Serviços (ICS), da Fundação Getúlio Vargas (FGV), recuou 1,7 ponto entre fevereiro e março de 2018, chegando a 91,4 pontos. Segundo a FGV, a queda do ICS é consequência de um movimento de acomodação, compatível com a lenta recuperação do nível de atividade que vem marcando este setor. Além disto, o recuo do indicador de confiança no mês pode estar associado às incertezas que marcam o cenário eleitoral.
Estado de São Paulo – São Paulo encerrou o mês de março de 2018 com a criação de 30.459 vagas líquidas, valor estável comparado às 30.040 vagas líquidas criadas no mês anterior. O montante desse mês apresenta aumento significativo no cenário de contratações no Estado se comparado a março de 2017, quando foram destruídas 9.646 vagas líquidas. O setor de Serviços registrou o maior volume de contratações (30.178 vagas líquidas). A Agropecuária apresentou o pior desempenho (6.720 demissões líquidas).
Análise – Os dados analisados pelo Ceper mostram desaceleração da retomada do mercado de trabalho. As informações disponibilizadas pela PNAD contínua do IBGE revelam que a taxa de desocupação foi de 13,1% no trimestre móvel referente aos meses de janeiro a março de 2018, registrando variação positiva de 1,3 ponto percentual em relação ao trimestre de outubro a dezembro de 2017 (sem ajuste sazonal). No entanto, a comparação com o mesmo período do ano anterior revela queda de 0,6% na taxa, sugerindo que o mercado de trabalho segue em ritmo de recuperação.
O Boletim Mercado de Trabalho MAIO de 2018 está disponível no site da Fundace no endereço: https://www.fundace.org.br/_up_ceper_boletim/ceper_201805_00364.pdf

Ceper – O Centro de Pesquisa em Economia Regional foi criado em 2012 e tem como objetivo desenvolver análises regionais sobre o desempenho econômico e administrativo regional do País. Sua criação reúne a experiência de diversos pesquisadores da FEA-RP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto) da Universidade de São Paulo em pesquisas relacionadas ao Desenvolvimento Econômico e Social em nível regional, a análise de Conjuntura Econômica, Financeira e Administrativa de municípios e Gestão de Organizações municipais, entre outros. A iniciativa de criação do Centro foi dos pesquisadores Rudinei Toneto Junior, Sérgio Sakurai, Luciano Nakabashi e André Lucirton Costa, todos da FEA-RP/USP. Os Boletins Ceper têm o apoio do Banco Ribeirão Preto, Stéfani Nogueira Incorporação e Construção, São Francisco Clínicas, Citröen Independance, Ribeirão Diesel e CM Agropecuária e Participações.
Fundace – A Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (Fundace) é uma instituição privada sem fins lucrativos criada em 1995 para facilitar o processo de integração entre a FEA-RP e a comunidade. Oferece cursos de pós-graduação (MBA) e extensão em diversas áreas. Também realiza projetos de pesquisa in company além do levantamento de indicadores econômicos e sociais nacionais regionais.

 

Fonte: folhanoroeste.blogspot.com/2018/05/criacao-de-vagas-de-emprego-desacelera.html

Compartilhe

Deixe uma resposta