Arrecadação de impostos federais tem alta de 20,5% em Ribeirão Preto

Cofins e Imposto de Renda Sobre Pessoa Jurídica foram os que mais apresentaram alta na cidade

Nos dois primeiros meses de 2018, a cidade de Ribeirão Preto apresentou alta de 20,5% na arrecadação de impostos federais em comparação ao mesmo período de 2017. Somente em fevereiro deste ano, a arrecadação atingiu a marca de R$ 182 mil. A alta foi puxada, principalmente, pelo aumento expressivo do Cofins (26,6%), IRPJ (21,6%), PIS/PASEP (17,2%), CSLL (15,9%), IPI (9,1%) e IRRF (7,2%).

Os dados são do Boletim Termômetro Tributário da do Centro de pesquisa da Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (Ceper-Fundace). As informações foram contabilizadas pelos  especialistas da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP) da USP, Sergio Naruhiko Sakurai Giulia Coelho e Lorena Araujo.

Segundo Sakurai, a alta puxada pela Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), tem explicação na alta do mercado. “O principal responsável por esse resultado foi a Cofins, cujo crescimento se deu, principalmente, em razão do aumento do volume de vendas. Adicionalmente, houve acréscimo na arrecadação do IPI, em particular no IPI-Vinculado à Importações, devido ao aumento de 20,06% no valor em dólar dos itens importados”, explica.

Reunindo todos os impostos, federais, estaduais e municipais, Ribeirão Preto, até o momento, contribuiu com R$ 330 milhões, segundo o Impostômetro. A região também acompanhou a média nacional e estadual de alta, com 14,4% de elevação na arrecadação de impostos federais, em comparação ao mesmo período de 2017. Em conjunto, os municípios da região arrecadaram um total de R$ 352 mil.

No Estado de São Paulo, o total de impostos federais arrecadados em fevereiro de 2018 chegou à ordem de R$ 31 milhões, valor 23,5% superior ao observado no mesmo mês de 2017. As rubricas apresentaram variações positivas, com destaque para o IPRJ (83,7%) e CSLL (63,0%).

A arrecadação registrada no Brasil em fevereiro deste ano, da ordem de R$ 70,5 milhões, foi a segunda maior para esse mês entre os últimos cinco anos, ficando abaixo apenas em relação a janeiro de 2015. O montante representa um aumento de 14,5% em relação a fevereiro de 2017.

 

Fonte: https: www.revide.com.br/noticias/economia/arrecadacao-de-impostos-tem-alta-de-205-no-inicio-de-2018-em-ribeirao-preto/

Compartilhe

Deixe uma resposta