Recuperação do mercado de trabalho segue lenta e gradual

Dados do Boletim Mercado de Trabalho do Ceper/Fundace indicam criação de vagas em todo o país; indústria puxou mercado de trabalho nacional enquanto serviços lideraram em Ribeirão Preto

Com base nos dados de janeiro de 2018 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), o Boletim Mercado de Trabalho de março do Ceper/Fundace, indica que houve criação de vagas em âmbito nacional e em todas as regiões analisadas.

O levantamento por setores mostra que a indústria foi o setor que mais contratou e o Comércio o único que apresentou negativo. Dentro do setor de comércio foi o segmento varejista de artigos do vestuário e acessórios que teve o pior desempenho. No que diz respeito ao saldo em 12 meses, Campinas e Sertãozinho foram as únicas regiões perderam vagas no acumulado.

“O Índice de Confiança da Indústria (ICI) da FGV apresentou estabilidade em janeiro com 99,4 pontos, sem alteração em relação a dezembro do ano passado, quando havia sido registrado o maior nível em quatro anos. Isso mostra que, apesar do aumento da confiança nos últimos meses, ainda há incerteza em relação à velocidade de recuperação econômica em 2018”, explica o pesquisador do Ceper, Sergio Sakurai.

Após três anos de saldo acumulado negativo, 2018 iniciou com saldo positivo nas contratações em nível nacional. Em janeiro, foram criados 77.822 postos líquidos de trabalho em todo país, uma forte reversão frente às mais de 40 mil vagas destruídas no mesmo mês de 2017. Com exceção do comércio, todos os setores analisados registraram criação líquida de vagas no início do ano, sendo a Indústria o setor que mais contratou, 50.207 postos líquidos.

O estado de São Paulo registrou 20.278 contratações líquidas em janeiro de 2018. Outra reversão significativa do cenário de demissões no mesmo mês de 2017, quando foram registradas 4.457 demissões líquidas. Entre os setores analisados, também foi a Indústria que apresentou o melhor desempenho, registrando 21.331 contratações líquidas.

A Região Administrativa de Ribeirão Preto (RARP) criou 4.521 vagas líquidas em janeiro de 2018, resultado positivo se comparado com dezembro de 2017 que apresentou saldo negativo de 4.089 vagas, assim como quando comparado com janeiro de 2017, quando foram registradas 3.581 admissões líquidas. Somente o Comércio e a Agropecuária registraram demissões líquidas, com 222 e 80 vagas destruídas. A Indústria, também regionalmente foi o setor que mais contratou, registrando 2.187 vagas líquidas. O segmento de fabricação de açúcar em bruto foi responsável pela criação de 515 postos líquidos.

O município de Ribeirão Preto registrou a criação líquida de 1.299 postos de trabalho em janeiro de 2018. Houve significativa melhora comparativamente às 926 demissões líquidas registradas em dezembro de 2017, bem como comparativamente ao saldo de 32 vagas líquidas criadas em janeiro de 2017. Assim como na região, os setores de Comércio e Agropecuária apresentaram saldo negativo. O setor de Serviços, por outro lado, apresentou o maior número de contratações, 1.059, sendo o segmento de portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet responsável pelo saldo positivo de 299 postos de trabalho.

Sertãozinho registrou a abertura de 1.366 vagas líquidas em janeiro, montante que apesar de positivo é inferior às 1.623 contratações registradas no mesmo mês de 2017. Todos os setores analisados no município apresentaram contratações líquidas sendo a indústria o que mais contratou. Dentro da indústria, o segmento de fabricação de máquinas e equipamentos de uso geral foi responsável pela criação de 90 vagas líquidas.

Franca registrou a criação de 2.499 postos de trabalho, revertendo o quadro de demissões líquidas observado em dezembro do ano passado. Entre o os setores analisados, apenas a agropecuária apresentou destruição líquida de postos de trabalho. A indústria, por outro lado, foi o que mais contratou com saldo de 1.773 vagas.

Campinas encerrou janeiro deste ano com saldo positivo de 333 vagas, montante positivo e que também reverte o saldo de 274 demissões líquidas contabilizado em janeiro do ano passado. Por fim, o município de São José do Rio Preto encerrou o mês de janeiro de 2018 com a criação de 568 postos líquidos de trabalho, montante positivo e que representa reversão frente ao saldo de demissões registrado no mesmo mês em 2017.

Análise – Os dados do Boletim Mercado de Trabalho Ceper/Fundace mostram manutenção dos indicadores que vinham apresentando recuperação nas edições mais recentes do estudo. As informações disponibilizadas pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) contínua do IBGE reforçam este cenário. Segundo a PNAD, a taxa de desocupação da população foi de 12,2% nos meses de novembro de 2017 a janeiro de 2018, mesmo valor do trimestre anterior (agosto a outubro de 2017). Na comparação com o mesmo período do ano anterior, a taxa de desocupação apresenta uma queda de 0,4 pontos percentuais.

Outros indicadores calculados pelo IBGE, como taxa de participação e nível de ocupação, não apresentaram mudanças bruscas frente os meses recentes, refletindo a estabilidade do mercado de trabalho. Na comparação anual, destaque para o aumento de 2,1% no contingente de pessoas ocupadas.  Ao longo do ano, a continuidade do processo de recuperação gradual da atividade econômica deve continuar a contribuir positivamente para o mercado de trabalho.

O Boletim Mercado de Trabalho – FEVEREIRO 2018 completo está disponível no site da Fundace no endereço: https://www.fundace.org.br/_up_ceper_boletim/ceper_201803_00349.pdf

Ceper – O Centro de Pesquisa em Economia Regional foi criado em 2012 e tem como objetivo desenvolver análises regionais sobre o desempenho econômico e administrativo regional do País. Sua criação reúne a experiência de diversos pesquisadores da FEA-RP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto) da Universidade de São Paulo em pesquisas relacionadas ao Desenvolvimento Econômico e Social em nível regional, a análise de Conjuntura Econômica, Financeira e Administrativa de municípios e Gestão de Organizações municipais, entre outros. A iniciativa de criação do Centro foi dos pesquisadores Rudinei Toneto Junior, Sérgio Sakurai, Luciano Nakabashi e André Lucirton Costa, todos da FEA-RP/USP. Os Boletins Ceper têm o apoio do Banco Ribeirão Preto, Stéfani Nogueira Incorporação e Construção, São Francisco Clínicas, Citröen Independance, Ribeirão Diesel e CM Agropecuária e Participações.

Fundace – A Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (Fundace) é uma instituição privada sem fins lucrativos criada em 1995 para facilitar o processo de integração entre a FEA-RP e a comunidade. Oferece cursos de pós-graduação (MBA) e extensão em diversas áreas. Também realiza projetos de pesquisa in company além do levantamento de indicadores econômicos e sociais nacionais regionais.

 

Fonte: https://www.ribeiraosul.com.br/noticias/recuperacao-do-mercado-de-trabalho-segue-lenta-e-gradual

Compartilhe

Deixe uma resposta