Como fazer um bom orçamento empresarial

Para uma empresa, é tão essencial saber como ganhar dinheiro quanto como gastá-lo, afinal, parte do lucro deve pagar funcionários, manter a infraestrutura e financiar investimentos. Basicamente, quem pode direcionar a aplicação desses recursos é o orçamento empresarial.

Fazer o orçamento empresarial é fundamental para qualquer porte de empresa, além de ser importante para que os colaboradores conheçam ao menos seus detalhes principais para poder entender para onde o negócio está caminhando.

Quer conhecer esse tema mais de perto? Acompanhe este texto e saiba o que é o orçamento empresarial, sua importância e como ele é feito. Confira!

O que é orçamento empresarial?

Trata-se de um plano que ajuda a empresa a andar na linha em relação a suas operações financeiras a longo e a curto prazo. Com o orçamento empresarial é possível, por exemplo, prever gastos, orçar investimentos e estimar lucro para determinado período.

Essa ferramenta deve estar presente no planejamento estratégico da empresa, pois ajuda a controlar possíveis desvios das metas já estabelecidas, não deixando a empresa entrar no vermelho.

O orçamento empresarial geralmente é realizado analisando de dois a três meses antes do início da sua execução. Ele abrange todas as previsões de operações financeiras da empresa para os próximos 12 meses.

Qual a importância do orçamento empresarial para a gestão da empresa?

São inúmeras as vantagens que o orçamento empresarial pode trazer para o bom andamento de uma organização. Em primeiro lugar, ele garante manter equilibrado o fluxo de caixa da empresa.

Em outras palavras, o orçamento empresarial prevê quanto a empresa precisa gastar com custos fixos e variáveis e quanto necessita receber para bater as metas definidas. Esses parâmetros também consideram o dinheiro que empresa possui no momento atual.

Esses dados presentes no orçamento empresarial facilitam e muito a tomada de decisões, ajustando planos e expectativas, isso porque ele permite visualizar para onde estão indo os gastos e qual a melhor forma de calibrá-los, por exemplo.

Em segundo lugar, um bom orçamento empresarial sinaliza que a organização tem a saúde financeira sob controle. Não é à toa que bancos e fundos de investimentos frequentemente avaliam dados do orçamento antes de conceder empréstimo à empresa.

Como é feito o orçamento empresarial?

Quando chega o momento de elaborar o orçamento empresarial tudo parece complicado. Mas, na verdade, basta seguir algumas etapas e tudo vai ficar mais claro. Confira a seguir as etapas principais:

Leve em conta o montante de vendas

Qual é o montante de vendas da empresa? Esse valor deve entrar no orçamento empresarial, assim como as projeções para as vendas.

Estas podem ser calculadas a partir do somatório de todas as receitas oriundas de produtos e serviços da empresa. É preciso considerar todo o mix de produtos, tanto da matriz quanto das filiais, se esse for o caso.

Considere os investimentos

Aquilo que a empresa investe para ampliar sua estrutura a fim de melhorar a capacidade produtiva deve entrar no orçamento empresarial. Esse tipo de investimento pode ser de dois tipos: operacional e financeiro.

O investimento operacional é aquele aplicado a equipamentos, mobiliário, ferramentas e máquinas. Também está incluso nesse grupo os treinamentos e capacitações de colaboradores.

Já o investimento financeiro se refere ao patrimônio da marca da empresa. Isso acontece, por exemplo, quando há compra de ações por outras empresas, fazendo expandir o valor da marca.

Liste os custos fixos

Os custos fixos são todos aqueles gastos que aparecem todos os meses. Uma maneira fácil de identificá-los é justamente por meio de uma análise histórica dos gastos.

Por exemplo, devem ser considerados como custos fixos os gastos com pessoal,  isto é, os desembolsos da empresa para pagar seus funcionários. Assim, entram para a conta os salários, benefícios e demais encargos trabalhistas.

Também consideram-se custos fixos as despesas comerciais, financeiras e tributárias. Por exemplo, as taxas para pagar impostos ao governo e também serviços de contabilidade.

Não se esqueça dos custos variáveis

Seria tão mais fácil se no orçamento empresarial entrasse somente os custos fixos, mas a realidade é um pouco mais imprevisível e o orçamento tem que ao menos deixar separado um dinheiro para arcar com eventualidades.

Tratam-se dos custos variáveis. Por conta dessa natureza instável, esses custos podem ser reduzidos ou ampliados de acordo com o lucro da organização. Fazem parte desse grupo os gastos com viagens e eventos, contratação de mão de obra terceirizada, publicidade e propaganda, dentre outros.

Coloque tudo junto

Com esses dados levantados, chegou o momento de reunir tudo, a sugestão é colocar numa planilha de Excel ou programa especializado. O importante é começar a fazer tudo isso com antecedência, para que não fique nada importante fora do orçamento empresarial.

Esses foram alguns dos principais detalhes do orçamento empresarial. É interessante perceber que essa ferramenta de planejamento, apesar de ser um olhar para o futuro, deve se basear no ocorrido no passado. Sendo assim, considere alguns dados históricos.

Recolha informações sobre operações financeiras de todos os departamentos da empresa, estude esses dados e utilize-os como parâmetro para estabelecer metas orçamentárias.

Melhore seu conhecimento sobre Gestão Estratégica com um MBA!

Agora que você sabe como fazer um orçamento empresarial, que tal compartilhar em suas redes sociais e deixar seus amigos e colegas de trabalho a par dessa importante estratégia?

Compartilhe

Deixe uma resposta