Setor de Serviços se destaca na criação de vagas no mês de julho em RP

Números ainda indicam dificuldades do mercado de trabalho em nível nacional, mas tendência é de recuperação, aponta estudo do CEPER/Fundace

O Boletim Mercado de Trabalho do CEPER/Fundace, que analisa dados de mercado de trabalho divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego, mostra que o Brasil, o estado de São Paulo, e os municípios paulistas monitorados pelos pesquisadores do CEPER confirmam a recuperação do mercado de trabalho.

Os dados de Julho de 2017 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) indicam demissões somente nos municípios de Sertãozinho e de Franca, entre as regiões analisadas neste boletim.

Todas as regiões analisadas apresentaram desempenho favorável no acumulado dos últimos doze meses (de Agosto de 2016 a Julho de 2017) em comparação com o resultado dos doze meses imediatamente anteriores (de Agosto de 2015 a Julho de 2016).

Apesar da recuperação do mercado de trabalho, com o Brasil e estado de São Paulo criando vagas nos últimos quatro meses, o montante de desempregados na economia ainda é significativo, com muitos indivíduos atuando na informalidade.

Números por região – O estado de São Paulo encerrou o mês de Julho de 2017 com a criação de 21.805 vagas, exibindo reversão positiva em comparação ao mês de Julho de 2016, quando foram destruídas 13.795 vagas.

A Região Administrativa de Ribeirão Preto (RARP) registrou a criação de 196 vagas em Julho de 2017, o que representa uma reversão positiva do cenário de 656 demissões líquidas exibido em Julho de 2016. O setor de Serviços foi responsável pelo maior número de contratações. A Construção Civil, por sua vez, foi o segmento que mais demitiu.

Ribeirão Preto criou 748 vagas no mês de Julho de 2017, montante significativamente superior aos 16 postos de trabalho abertos em Julho de 2016. Todos os setores apresentaram criação de vagas, tendo o setor de Serviços se destacado pelo maior número de vagas criadas.

Entre agosto de 2016 e julho de 2017 foram registradas 1.439 demissões líquidas, montante que apesar de negativo é bastante inferior às 5.570 demissões líquidas registradas nos doze meses imediatamente anteriores. O saldo acumulado de janeiro a ulho de 2017 indica a criação de 453 vagas.

O município de Sertãozinho encerrou o mês de julho com a destruição de 650 vagas líquidas, montante superior ao de vagas destruídas em Julho de 2016, quando foram registrados 202 desligamentos líquidos. A Indústria é o setor com o maior montante de demissões, seguida pela Construção Civil.

O mês de Julho de 2017 foi o quinto mês consecutivo a apresentar  fechamento de vagas no município, contribuindo para o saldo acumulado em 2017 (de janeiro a julho) de 679 desligamentos líquidos. No entanto, o montante de vagas destruídas foi inferior quando comparado ao acumulado de janeiro a julho de 2016.

O município de Franca encerrou o mês de Julho de 2017 com a destruição de 408 vagas líquidas, o que representa uma reversão negativa do saldo de contratações líquidas exibido em Julho de 2016, quando foram criadas 188 vagas. Entre os setores, Indústria e Agropecuária foram responsáveis pelo maior número de fechamentos de vagas.
Apesar do saldo de demissões no mês de Julho de 2017, o saldo acumulado de Janeiro a Julho de 2017 indica criação de 5.567. Esse volume, no entanto, é inferior ao registrado no acumulado de janeiro a julho de 2016.

Em Campinas, apesar do saldo de demissões no mês de Julho de 2017, o acumulado de janeiro a julho de 2017 indica criação de 5.567. O volume, no entanto, é inferior ao registrado no acumulado de Janeiro a Julho de 2016. Todos os setores registraram criação de postos de trabalho, sendo o setor de Serviços o que apresentou o melhor desempenho.
Apesar do desempenho favorável no fluxo mensal, o município registrou fechamento de 151 vagas no acumulado de janeiro a julho de 2017. Ainda assim, houve redução significativa do número de vagas destruídas em comparação com o acumulado de janeiro a julho de 2016.

Por fim, o município de São José do Rio Preto criou 411 vagas em Julho de 2017, o que representa uma reversão positiva do cenário de demissões líquidas registrado em Julho de 2016. Entre os setores, Serviços foi o responsável pelo maior volume de contratações. O saldo acumulado de Janeiro a Julho de 2017 indicou criação de 1.934 postos de trabalho, reversão favorável do saldo de demissões registrado no mesmo período de 2016.

Desemprego – Os dados apresentados nesta edição do boletim Mercado de Trabalho do CEPER-FUNDACE confirmam a percepção de recuperação do mercado de trabalho, que vinha sendo apresentada nas edições mais recentes do estudo.

As informações divulgadas na PNAD contínua do IBGE explicitam uma melhora no mercado de trabalho, refletida em uma taxa de desocupação estimada em 12,8% entre maio e julho de 2017, uma queda considerável de 0,8 pontos percentuais frente ao trimestre móvel anterior (fevereiro a abril de 2017), quando essa taxa atingiu o patamar de 13,6%. Apesar da melhora, na comparação com o mesmo trimestre de 2016 (entre Maio a Julho de 2016), quando a taxa de desocupação fora estimada em 11,6%, o quadro de maior da taxa de desocupação permanece.
Quanto ao número de pessoas desocupadas, entre maio e julho de 2017 foi estimado um contingente de 13,3 milhões de pessoas, uma diminuição de 721 mil pessoas frente ao valor apresentado no trimestre móvel anterior, quando essa cifra atingiu 14 milhões de pessoas.

Quando comparado com o mesmo trimestre do ano anterior, quando o número de desocupados foi estimado em 11,8 milhões de pessoas, houve um incremento de 1,5 milhões de desocupados na força de trabalho, o que representa um crescimento de 12,5%.
O rendimento real habitual médio entre maio e julho de 2017 foi de R$ 2.106, um valor estável comparado aos R$ 2.111 recebidos no trimestre anterior, e aos R$ 2.045 do mesmo trimestre de 2016.

O Boletim completo pode ser acessado no site da Fundace através deste link:
https://www.fundace.org.br/_up_ceper_boletim/ceper_201709_00308.pdf

Ceper – O Centro de Pesquisa em Economia Regional foi criado em 2012 e tem como objetivo desenvolver análises regionais sobre o desempenho econômico e administrativo regional do País. Sua criação reúne a experiência de diversos pesquisadores da FEA-RP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto) da Universidade de São Paulo em pesquisas relacionadas ao Desenvolvimento Econômico e Social em nível regional, a análise de Conjuntura Econômica, Financeira e Administrativa de municípios e Gestão de Organizações municipais, entre outros. A iniciativa de criação do Centro foi dos pesquisadores Rudinei Toneto Junior, Sérgio Sakurai, Luciano Nakabashi e André Lucirton Costa, todos da FEA-RP/USP. Os Boletins Ceper têm o apoio do Banco Ribeirão Preto, Stéfani Nogueira Incorporação e Construção, São Francisco Clínicas, Citröen Independance e CM Agropecuária e Participações.

Fundace – A Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (Fundace) é uma instituição privada sem fins lucrativos criada em 1995 para facilitar o processo de integração entre a FEA-RP e a comunidade. Oferece cursos de pós-graduação (MBA) e extensão em diversas áreas. Também realiza projetos de pesquisa in company além do levantamento de indicadores econômicos e sociais nacionais regionais.

Fonte: http://emribeirao.com/economia/setor-de-servicos-se-destaca-na-criacao-de-vagas-no-mes-de-julho-em-rp-19588

Compartilhe

Deixe uma resposta