Lançamento do livro: Contabilidade Financeira no Agronegócio

Pesquisadores da Fundace participaram ontem, dia 24 de agosto, do lançamento e sessão de autógrafos do livro “Contabilidade Financeira no Agronegócio”, no Espaço de Eventos da Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, em Ribeirão Preto.
Organizada por Sílvio Hiroshi Nakao, a obra tem como autores Amaury José Rezende, Carlos Roberto de Godoy, Marcelo Botelho da Costa Moraes, Marcelo Augusto Ambrozini, Maísa de Souza Ribeiro, Paula Carolina Ciampaglia Nardi, Ricardo Luiz Menezes da Silva, Sílvio Hiroshi Nakao e Vinícius Aversari Martins, todos docentes do Departamento de Contabilidade da FEA-RP/USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto/Universidade de São Paulo).
Conteúdo – O agronegócio é o setor econômico de maior importância no País e apresenta diversas especificidades em termos de informações contábeis. Diante desse cenário, “Contabilidade Financeira no Agronegócio” trata da contabilidade financeira quanto às particularidades das entidades ligadas ao agronegócio.
A obra foi elaborada com base nos pronunciamentos técnicos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC)/International Financial Reporting Standards (IFRS – Normas Internacionais de Contabilidade). Aborda o tratamento contábil de ativos biológicos e produtos agrícolas, plantas portadoras, receitas de vendas, mercados financeiros agrícolas, tributação e divulgação.
Caracteriza-se pelo forte embasamento conceitual, necessário para a correta interpretação dos pronunciamentos contábeis, assim como pela discussão das diversas aplicações no setor. Traz posicionamentos sobre questões controversas, especialmente sobre a mensuração a valor justo, e procura esclarecer assuntos que as normas contábeis, apesar de precisas, não oferecem a didática necessária.
Livro-texto para as disciplinas Contabilidade Rural, Contabilidade no Agronegócio e Contabilidade Financeira no Agronegócio dos cursos de Graduação e Especialização em Contabilidade e Administração. Leitura relevante para profissionais envolvidos na cadeia produtiva do agronegócio e para entidades que não são exclusivamente deste setor, como bancos.

Compartilhe

Deixe uma resposta